26/06/2017

Peça do mês de junho

O vídeo da peça do mês de junho, os cinco escaravelhos egípcios e egiptizantes trazidos pelos fenícios para o território português, apresentado por Ronaldo G. Gurgel Pereira, já se encontra disponível no canal youtube do Museu Nacional de Arquelogia.



22/06/2017

Inauguração da exposição "LOULÉ. Territórios, Memórias e Identidades

O vídeo da inauguração da exposição "LOULÉ. Territórios, Memórias e Identidades", já se encontra disponível no canal Youtube do Museu Nacional de Arqueologia.



Inauguração da exposição "LOULÉ. Territórios, Memórias e Identidades

Ontem, dia 21 do corrente, o Museu Nacional de Arqueologia encheu para assistir à inauguaração da Exposição "LOULÉ. Territórios, Memórias e Identidades".

Após o acto de inauguração oficial seguiu-se um momento musical interpretado por Eduardo Ramos, a se seguiu uma visita guiada pelos comissários científicos da exposição.



















20/06/2017

Novos pendões no MNA

Já reparou que a fachada do Museu Nacional de Arqueologia tem novos pendões?

Anunciam a nova exposição, que inaugurará amanhã, dia 21 de junho, pelas 18h30. 

Não perca a inauguração!



16/06/2017

LOULÉ. Territórios, Memórias e Identidades

LOULÉ. Territórios, Memórias e Identidades. Veja o depoimento da Comissária Científica do núcleo "Época Romana", Catarina Viegas, professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.



14/06/2017

Peça do mês de junho

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) possui um acervo de várias centenas de milhares de bens culturais. Provêm eles de intervenções arqueológicas programadas ou de achados fortuitos, mas também de aquisições. As peças foram incorporadas por iniciativa do próprio Museu ou por depósito e doação de investigadores e colecionadores. Às coleções portuguesas acrescentam-se ainda as estrangeiras, igualmente de períodos e regiões muito diversificadas. Todos os períodos cronológicos e culturais, desde a mais remota Pré-História até épocas recentes, relevando-se, neste caso, as peças etnográficas, estão representados no MNA. O MNA é ainda o museu português que possui no seu acervo a maior quantidade de bens culturais classificados como “tesouros nacionais”. Existe, pois, motivo constante para a redescoberta das coleções do Museu Nacional de Arqueologia e é esse o sentido da evocação que fazemos, em cada mês que passa, em diálogo com o diferente tipo de atividades que o mesmo desenvolve.

Peça(s) do mês de junho
Aegyptiaca: Cinco escaravelhos egípcios e egiptizantes 
trazidos pelos fenícios para o território Português
Apresentado por Ronaldo G. Gurgel Pereira
Sábado, dia 24 de junho, às 15h30


2005.84.1 - Azinhaga do Senhor dos Mártires, Alcácer do Sal 
© Arquivo de Documentação Fotográfica DGPC.MNA


O Museu Nacional de Arqueologia possui em seu acervo um pequeno grupo de cinco escaravelhos encontrados em território nacional em sítios arqueológicos de contexto do Bronze Final e Ferro Inicial. Muitos escaravelhos similares são encontrados na Península Ibérica. Essas peças - denominadas "aegyptiaca" foram trazidas por comerciantes e colonos fenícios directamente do Egipto, ou mesmo produzidos em pequenas oficinas de réplicas fenícias, estabelecidas em várias colônias do Mediterrâneo. Normalmente essas peças, que serviam de amuleto mágico para os fenícios eram adotados como elemento de status entre as elites ibéricas. Falaremos da iconografia dessas peças em um estudo inédito de tipologia voltado para o caráter mágico-religioso. Nesse contexto, apresentaremos um pequeno estudo sobre demonologia egípcia com base nas imagens veiculadas pelas aegyptiaca.

Peças apresentadas:
- Pequeno escaravelho em espinela encontrado em Alcácer do Sal;
- Pequeno escaravelho de esteatite verde encontrado em Alcácer do Sal;
- Pequeno escaravelho de quartzo negro encontrado em Alcácer do Sal;
- Pequeno escaravelho em ágata quase negra encontrado em Alcácer do Sal;
- Pequeno anel de bronze, que é um fragmento de um escaravelho de bronze, encontrado em Favela Nova, Ourique;

12/06/2017

Entrega dos prémios APOM

No passado dia 9 de Junho, em cerimónia pública muito participada realizada no Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, a exposição internacional "Lusitânia Romana. Origem de dois Povos / Lusitania Romana. Origen de dos Pueblos", co-organizada pelo Museu Nacional de Arqueologia e pelo Museu Nacional de Arte Romano (Mérida, Espanha), foi premiada pela APOM - Associação Portuguesa de Museologia, nas seguintes categorias:

Prémio "Catálogo" - Para o catálogo editado em português. Com revisão de texto e bibliografia por Lívia Cristina Coito, entre outras, concepção gráfica de FBA e produção da IN-CM.

Prémio "Transporte de Património" - Para a circulação de bens culturais entre os Museus Nacionais de Mérida, Lisboa e Madrid e as quase vinte instituições emprestadoras. Esta operação teve como “courier” oficial Ana Isabel Santos e envolveu empresas de transporte como a ITERARTIS e a SIT. A escolta policial foi realizada em Portugal pela Polícia Judiciária e em Espanha pela Polícia Nacional.

Menção Honrosa "Projecto Internacional" - Para o conceito da exposição e para o consórcio de instituições de Portugal e Espanha reunidas para esse fim.

Menção Honrosa "Inovação e Criatividade" - Para os áudio-guias produzidos pela empresa Yourpodcast, a partir de textos adaptados por Isabel Inácio, e com destaque para a locução em latim de Mário Silva, do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
  
Estas quatro distinções vêm reconhecer um importante trabalho realizado intensivamente entre 2013 e 2016 - mas que é reflexo de uma actividade de décadas -  desenvolvido por um comissariado científico de investigadores portugueses e espanhóis, um conjunto de autores e técnicos de cinco países e por parte de instituições de Portugal e Espanha que constituíram um consórcio para realizar esta exposição, que se assumiu como um verdadeiro “estado da arte” relativamente ao actual conhecimento sobre a Lusitânia Romana.

Recorde-se que a exposição teve como Comissários Científicos o Prof. Doutor José María Álvarez Martínez, Director do Museo Nacional de Arte Romano, o Prof. Doutor Carlos Fabião, da Faculade de Letras da Universidade de Lisboa, a Profª Doutora Trinidad Nogales Basarrate, também do Museo Nacional de Arte Romano, além do signatário.

Aproveitamos assim a oportunidade, uma vez mais, para agradecer a confiança, o apoio e o empenho de todos - investigadores, técnicos, museus, universidades, empresas e demais instituições, - que estiveram envolvidos na organização desta importante exposição internacional.















Visita do Clube de Arqueologia de Loulé ao MNA

No passado dia 9 de junho, vários alunos do Clube de Arqueologia de Loulé visitaram o Museu Nacional de Arqueologia, tendo sido acompanhados na ocasião pelos técnicos do Serviço Educativo, que os guiaram numa visita dramatizada à exposição Antiguidades Egípcias e aos vários serviços do museu, habitualmente vedados as público em geral, tendo tomado seu conhecimento  e da missão.

Do programa da visita constaram ainda dois ateliês (O Escaravelho do Coração e um exercício de decifração de um "papiro" egípcio) e a entrega de um certificado aos alunos envolvidos.
























Concerto do Coro da Associação de Amigos do Conservatório Nacional

Realiza-se no Museu Nacional de Arqueologia, no dia 25 de junho de 2017, pelas 17h00, um concerto do Coro da Associação de Amigos do Conservatório Nacional, dirigido por Luís Lopes Cardoso.


A entrada é livre e limitada ao número de lugares disponíveis.

Espécie humana tem mais cem mil anos do que se pensava

Cientistas descobriram em Marrocos os fósseis mais antigos de sempre de Homo sapiens. O achado põe em causa a noção de que espécie humana surgiu na África Oriental há 200 mil anos e mostra que ele passou por um processo evolutivo que envolveu todo o continente africano


Notícia completa AQUI